O que acontece na comunidade judaica de Santa Catarina passa por aqui. Ações, projetos, celebrações, cultura, espiritualidade e muito mais!

terça-feira, 29 de março de 2011

A AIC presente no Culto Ecumênico em memória e solidariedade ao povo japonês, no domingo (27), às 20h30, na Catedral de Florianópolis


A AIC, representada pela sua Presidenta, Julia S. Guivant, e pela Diretora Administrativa, Iéte A. Salomé, esteve presente no Culto Ecumênico em memória e solidaridade ao povo japonês.

A ceremônia foi muito emotiva, não só pela causa em questão, mas também por congregar diversas liderenças religiosas. O ato contou com significativo público, que lotou a Catedral.

No iniciou os representantes da cada entidade entraram pela nave com seus símbolos. A presidente da AIC  levou uma menorá com as velas acessas. Os símbolos foram colocados no altar enquanto o Orador mencionou  o seus significados. Logo a seguir, os representantes das entidades tomaram seus lugares atrás do altar. Teve inicio uma apresentação de Taikô, seguida pelas apresentações de cada representante. No nosso caso, a presidente leu o texto a seguir:

Oração para o povo do Japão
Rabino Yehoram Mazor
Trad.: Uri Lam
Rompida rompeu-se a terra, em pedaços despedaçou-se a terra, movida move-se a terra feito bêbado. (Isaías 24:19) Sua aflição passará para o mar cujas ondas serão atacadas e secarão todas as profundezas... (Zacarias 10:11)
Soberano do Universo, cujo espírito paira sobre tudo, que criou os céus com sabedoria e estendeu a terra sobre as águas. Tu concedeste o Teu arco-íris nas nuvens e nos informaste que não haveria mais inundações. As forças da terra a estremeceram, as ondas do mar quebraram amargamente e nossos irmãos japoneses foram acometidos pelas forças da natureza. O temor da ameaça nuclear somou mais sofrimento ao sofrimento deles. Nós nos enlutamos por seus mortos, nossos corações estão com os sobreviventes em suas dores.
Envie conforto aos familiares das vítimas de modo que possam retomar suas vidas. Cure seus corpos e envie restabelecimento para suas almas. Envie Tua sabedoria às forças de resgate, boa vontade e bom coração para todos os que tiverem condições de ajudar. Mostre a eles a Tua luz, orienta-os em seus caminhos, proteja-os. Juntamente com os japoneses, os filhos do Teu mundo se voltam a Ti:
Em nossa aflição clamamos ao Eterno e Ele nos respondeu. Gritamos, e Tu escutaste a nossa voz. Quando dentro de nós desfaleciam nossas almas, recordamo-nos do Eterno e nossas orações Te alcançaram. Expressaremos nossa gratidão ao oferecermos a Ti nossos sacrifícios e cumpriremos o que prometemos (conf. Jonas 2:8-9)

A seguir, Iéte leu uma curta frase do Kadish, já que cada associação tinha só 5 m. 

 Julia Guivant, Padre Vilson e Iéte A. Salomé

O emocionante evento foi finalizado com outra tocante apresentação de Taikô, acompanhada por duas flautistas. 
Veja o video do evento (as apresentações da AIC estão a partir dos 32.50 m.)

A AIC apoia os eventos da Associação Nipo-Catarinense em prol das vítimas do terremoto no Japão

A AIC está apoiando os eventos organizados pela Associação Nipo-Catarinese e por parceiros, em prol das vítimas do terremoto e do tsunami, que atingiram o Japão, no dia 11 de março deste ano.

O primeiro evento será um Culto Ecumênico em memória e solidariedade ao povo japonês, que acontece neste domingo (27), às 20h30, na Catedral de Florianópolis, na Praça XV.

O outro evento organizado pela Associação Nipo-Catarinense será o almoço solidário “Gamberê, Nippon! Força Japão”, no dia 17 de abril, das 11h às 16h, no Lagoa Iate Clube (LIC). O cardápio será Yakissoba, ao custo de R$ 50,00, e o encontro terá também apresentação de atividades culturais japonesas. “Todo o dinheiro arrecadado será enviado a Província de Aomori, que é estado irmão de Santa Catarina e também foi atingida na catástrofe”, diz o membro da Ass. Nipo-Catarinense, Saulo Botomé.
Outras informações sobre os eventos podem ser obtidas através do telefone 48.3225-8746 ou pelo e-mail anc@nipocatarinense.org.br

sexta-feira, 25 de março de 2011

Newsletter Conib - 25-03-11

Conib destaca
Sexta-feira, 25 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários
(Comunico aos nossos leitores que estarei de férias a partir de 28/03. Retornarei em 11/04)

1. Brasil vota contra o Irã na ONU e ganha aplauso da oposição persa

Pela primeira vez em oito anos, o Brasil votou ontem contra o Irã em um organismo da ONU, o Conselho de Direitos Humanos. O conselho aprovou por 22 votos a favor, 7 contra e 14 abstenções a designação de um relator especial para investigar denúncias de violações de direitos humanos no país. Trata-se de uma sinalização de mudança no governo Dilma Rousseff em relação ao de Lula, que vinha evitando críticas ao Irã. Ontem, em entrevista à Folha, o chanceler de Lula, Celso Amorim, disse que não apoiaria a resolução se estivesse no governo. Agora, não há sanções, mas investigação. Foi nessa linha a conversa que Maria Nazareth Farani Azevedo, representante do Brasil no Conselho, teve com o embaixador iraniano, Sayed Sajjadi, antes da votação. Explicou que o Brasil é tão aberto que, nos quatro anos e meio de vida do conselho, recebeu ao menos 16 relatores. Não deve ter convencido Sajjadi, que em seu pronunciamento negou, como era previsível, que o Irã desrespeite os direitos humanos e não coopere com os organismos internacionais. "O enfoque do Irã na promoção e proteção dos direitos humanos é baseado na sua religião e na sua cultura", disse o embaixador (Por Clovis Rossi, Folha de S.Paulo). Leia mais em:
Brasil muda de rumo, vota contra Irã na ONU e irrita regime dos aiatolás

quinta-feira, 24 de março de 2011

Newsletter Conib - 24-03-11

Conib destaca
Quinta-feira, 24 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. Brasil vota a favor do envio de relator especial da ONU ao Irã

Boletim Informativo da Confederação Israelita do Brasil | 24/03/2011

Conib condena ataques e faz alerta
A Confederação Israelita do Brasil (Conib) condena de forma veemente a série de ataques terroristas perpetrados contra alvos israelenses nos últimos dias. Uma família, incluindo três crianças, foi brutalmente assassinada; dezenas de foguetes foram disparados contra cidades no sul de Israel e, nesta quarta-feira, um atentado a bomba em Jerusalém matou pelo menos uma pessoa e deixou cerca de 50 feridos.
“Estamos profundamente preocupados com a deterioração do cenário”, declara Claudio Lottenberg, presidente da Conib, representante da comunidade judaica brasileira. “Depositamos muitas esperanças num diálogo entre israelenses e palestinos; e ficamos muito esperançosos, nos últimos meses, com as possibilidades de o mundo árabe finalmente embarcar num processo de reformas e de democratização”.
O presidente da Conib, no entanto, alerta para a possibilidade de os ataques a Israel representarem, mais uma vez, a tentativa de empurrar a região para uma espiral de violência e assim estancar processos de negociação e de mudanças.

“Às forças extremistas não interessam a paz e a democracia”, pondera Lottenberg. “Por isso, esforçam-se para sabotar os movimentos que representam diálogo ou movimentos democratizantes”.


quarta-feira, 23 de março de 2011

Boletim Informativo da Confederação Israelita do Brasil | 23/03/2011



Dia da Imigração Judaica foi inspirado em mandamento bíblico, diz Marcelo Itagiba
Mudanças no mundo árabe serão discutidas em convenção do CJL, em SP
Governador Jaques Wagner fala no Rio sobre a importância do judaísmo em sua formação política
Sharansky, presidente da Agência Judaica e antigo dissidente da URSS, encontra líderes judeus em SP
José Goldemberg  e cientista israelense debaterão em SP sobre biocombústiveis
Walter Feldman analisa em livro relação entre São Paulo e o Brasil
Unibes recebe vista do cônsul de Israel em São Paulo
Marília Gabriela aprecia beleza e modernidade de Israel
Israel promove seminário para jovens lideranças judaicas
Revista webMOSAICA aborda relação entre os judeus e as ideologias
Ciclo “SP: seus povos e suas músicas” homenageia os judeus

Palavrinhas do pessoal do Shomer para nossa festa de Purim na sexta!

Em Purim, a fantasia é parte essencial. Assim deixamos de lado nossa seriedade do cotidiano para um momento de descontração e diversão compartilhado com todos. Então, se você não tem uma fantasia pronta em casa, deixe sua criatividade voar! É a hora de encontrar aquele chapeu esquisito, aquela gravata bem colorida, a calça que saiu de moda há muito tempo e, quem sabe, uma maquiagem, e transformá-los num novo visual. Não fiquemos presos à monotonia da roupa de todos os dias - vamos nos fantasiar para Purim! Veja as fotos para se inspirar!!




terça-feira, 22 de março de 2011

Receitas para Purim

Keike  e Oznei Haman


Purim- O seu significado

A historia é relatada no livro de Esther – “meguilat esther” e narra a salvação milagrosa dos judeus, na época do império persa.
                        O nome Purim deriva da palavra “pur”, que significa sorteio, método usado por Haman para escolher a data em que pretendia exterminar todos os judeus. O andamento dos fatos guiados pela divina providência leva os judeus a conseguir permissão para se defender e lutar contra o inimigo. Graças ao jejum feito por Esther e pelas preces feitas pelo seu tio Mordechai, alcançamos uma vitória que festejamos até os dias de hoje. dia este que é relembrado através de muita festa com bebida, comida e muita alegria.
                        As mitsvot desta festa têm como objetivo ajudar a trabalhar os nossos conceitos de união, amizade e solidariedade dentro do nosso povo. “Mishloach manot”, enviar a amigos pelo menos duas espécies de alimentos diferentes e “matanot laevionim”, presentes aos carentes, fazem parte integrante deste dia festivo. a “seudat mitsvá”, refeição festiva é o auge da festa, onde nos alegramos com alimentos, incluindo pão, vinho e carne, estendendo-se esta refeição noite adentro. servimos também alimentos de massa recheada (kreplach, oznei haman), pois de acordo com algumas fontes, toda a história de purim nos é contada com vários fatos ocultos: d’us e a própria esther (hadassa) não se revelam abertamente. assim, até hoje, lemos a “meguilat esther” para lembrar que fatos como estes nunca mais se repitam!

Livro Kasher com Prazer

Entendendo Purim!


O que se comemora em Purim?

Purim comemora a vitória da sobrevivência judaica sob domínio persa. Os acontecimentos descritos no Livro de Ester (Megilá) ocorreram por volta de 450 anos antes da Era Comum.

O nome "Purim" vem da palavra hebraica "pur", que significa "sorteio". Este era o método usado por Haman, o Primeiro-Ministro do Rei Achashverosh da Pérsia, para escolher a data na qual ele pretendia massacrar os judeus do pais.

Mas os planos de Haman foram frustrados pela coragem da Rainha Ester e seu primo, Mordechai. Arriscando sua própria vida, Ester fez um apelo ao Rei para que salvasse seu povo, e a ordem de Haman foi revogada. Assim, aqueles dias fatais transformaram-se, conforme a linguagem da Megilá que lemos em Purim, "de tristeza em alegria", e o 14.° dia do mês de Adar é comemorado festivamente.

A história de Purim ressalta uma triste verdade, muito relevante em nossos dias. O povo judeu, ou qualquer outra minoria, torna-se sempre vulnerável quando fanáticos sobem ao poder. O extremismo - seja religioso, social ou político - só leva ao terror e à violência. desenfreada.

Por que é costume tomar bebidas alcoólicas na refeição festiva de Purim?
O vinho está sempre presente nas festividades judaicas, porém em doses comedidas. Em Purim, no entanto, permitem-se certos excessos que normalmente são desaconselhados. Isto porque, baseando-se nas palavras da Megilá, "dias de festa e alegria", e no fato de que Ester preparou um banquete com vinho para o Rei Achashverosh, os rabinos do Talmud deduziram que era uma Mitzvá tomar bebidas alcoólicas em Purim até o ponto de não conseguir mais distinguir entre as frases "bendito seja Mordechai" e "maldito seja Haman" - os versos que concluíam um longo poema tradicionalmente recitado nessa ocasião.

Talvez por esta razão a refeição festiva de Purim (seudá) realiza-se somente no final da tarde. Desta forma, as outras obrigações referentes ao feriado (leitura do Livro de Ester, caridade, etc.) podem ser cumpridas durante o dia, enquanto todos ainda estão sóbrios.


Por que é costume usar fantasias e máscaras em Purim?
Uma das interpretações é que as fantasias e as máscaras só mudam a aparência exterior, mas a substância interior permanece inalterada. Neste contexto, fantasiamo-nos em Purim em recordação dos judeus persas, que muitas vezes eram obrigados a seguir os costumes pagãos decretados pelo rei, porém no intimo continuavam fiéis à sua herança judaica.

Fonte: CIP



Newsletter Conib - 22-03-11

Conib destaca
Terça-feira, 22 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. Brasil defende fim de ataques na Líbia

Católicos e Israel: uma questão de valores

"Israel não é apenas o único país da região com um projeto democrático estável. É o país do Oriente Médio que mais se aproxima da visão católica sobre o que a política do século 21 deve ser."

alt


POR GEORGE WEIGEL
Membro Sênior do Centro de Políticas Públicas e Éticas de Washington, onde mantém a cátedra de Estudos do Catolicismo, e autor da biografia do Papa João Paulo II.

A Igreja Católica vem refletindo sobre a ética e as relações internacionais desde que Santo Agostinho escreveu “A Cidade de Deus”, no século 5. Já os fundamentos morais das sociedades modernas e liberais sofrem a influência católica desde que o Papa Leão XIII estabeleceu a doutrina social católica através da encíclica “Rerum Novarum”, em 1891. Portanto, as teorias contemporâneas de democracia e do entendimento clássico de ordem mundial devem inspirar os católicos de todo o mundo a se solidarizarem com o Estado de Israel, que enfrenta uma campanha global de deslegitimação.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Video em homenagem ao Dia da Imigração Judaica

Em homenagem ao Dia Nacional da Imigração Judaica, produzimos um vídeo
de 2 min que conta a história dos judeus no Brasil de forma alegre e
positiva, em ritmo de samba-enredo. Postamos no sábado e as reações
têm sido muito boas.

Pedimos que nos auxiliem em sua divulgação, incluindo o link abaixo em
suas comunicações regulares ou específicas em comemoração a esta
importante data, ou incorporando o vídeo em seus sites.

http://www.youtube.com/watch?v=gj-noWwUrkM


Obrigado a todos,
Renato Aizenman
Projeto Israel na Web - Coordenador
http://www.israelnaweb.com/


P.S.: Tendo em vista os trágicos acontecimentos ocorridos em Israel
dia 11, estamos auxiliando a divulgação de outro importante vídeo,
produzido pelo blog "Monitor da Mídia Árabe", sobre o incitamento que
está na raiz da violência árabe contra judeus. Segue o link se
quiserem também participar desta divulgação:
http://www.youtube.com/watch?v=Z8A9rjdVw1s

Newsletter Conib - 14-03-11

Conib destaca
Segunda-feira, 14 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. Barack Obama, em visita ao Brasil no próximo final de semana, deverá fazer discurso aberto ao público na Cinelândia, no Rio

http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/03/13/barack-obama-em-visita-ao-brasil-no-proximo-final-de-semana-devera-fazer-discurso-aberto-ao-publico-na-cinelandia-no-rio-924003904.asp

sexta-feira, 11 de março de 2011

Newsletter Conib - 11-03-11

Conib destaca
Sexta-feira, 11 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. Patriota cobra 'engajamento' dos EUA em reforma de Conselho da ONU

Mulheres que fazem a diferença são homenageadas por Wizo e Na’amat


Na comemoração do Dia Internacional da Mulher, que será realizada em 15 de março, em São Paulo, pela Organização Feminina Wizo, serão homenageadas Etejane Hepner Coin, vice-presidente nacional da entidade, e Teresa Cristina Ralston Bracher, presidente da ACTC - Associação de Assistência à Criança e ao Adolescente Cardíacos e aos Transplantados do Coração. Neste mês, assumiu a nova diretoria da Wizo-SP, presidida por Iza Mansur.

No Rio de Janeiro, em 16 de março, a entidade homenageará Dalal Achcar, bailarina e coreógrafa; Claudia Burlá, membro da Academia de Medicina do Rio de Janeiro; Iafa Britz, cineasta; Ada Chaseliov, atriz; Helena Lewin, cientista social, e Silene Balassiano, ex-presidente da Wizo-RJ.

Em 2 de março, a Na’amat Pioneiras celebrou a data em São Paulo, homenageando dez ativistas comunitárias: Augusta Halpern, Berta Zaterka, Dora Bobrow, Elisa Zitman, Ester Ber, Geni Abuleac, Mariazinha Dzialowski, Miriam Barzilai, Myrian Monteiro e Petit Glezer.


Celebração do Dia das Mulheres, na sede da Na’amat. em São Paulo. Foto: Divulgação.

Posse de Luiz Fux no STF é momento singular para a comunidade judaica


Luiz Fux é o primeiro judeu a ocupar o cargo de ministro no Supremo Tribunal Federal. Ele foi indicado pela presidenta Dilma Rousseff para ocupar a vaga deixada pelo ministro Eros Grau e assumiu o posto no dia 3 de março, em uma das mais concorridas cerimônias de posse no STF.

Foram 4.000 convidados, superando a posse do ministro Gilmar Mendes na presidência da Corte Suprema, em 2008, para a qual foram convidadas 3.500 pessoas. Entre os presentes, estiveram governadores, ministros de Estado, senadores e deputados federais. A Conib foi representada por seu presidente, Claudio Lottenberg, e pelo secretário-geral, Fernando Lottenberg. Também cumprimentou Fux na solenidade o rabino Yossi Schildkraut, do Beit Chabad de São Paulo.

“A cerimônia sensibilizou a todos nós. A comunidade judaica também se sente homenageada. Além de suas virtudes pessoais, que são muitas, Luiz Fux sempre reiterou seu vínculo com o judaísmo. É um momento singular na trajetória de nossa comunidade”, declarou Claudio Lottenberg.

Doutor em Direito Processual Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professor titular na mesma universidade, Luiz Fux tem 21 livros publicados e participou da comissão de elaboração do novo Código de Processo Civil. Ele é filho de imigrantes judeus da Romênia, que fugiram da perseguição nazista.


Claudio Lottenberg e Luiz Fux confraternizam em Brasília, na cerimônia de posse do ministro. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF.



A partir da direita: Claudio Lottenberg, Luiz Fux, Yossi Schildkraut e Fernando Lottenberg. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Livro relata como um grupo de judeus caçou e prendeu oficial nazista

 O tenente-coronel Adolf Eichmann (1906-1962) foi o mais famoso executor do terceiro Reich Hitler, defensor da ideia da "solução final para o problema judeu" e responsável pela logística de transportes de prisioneiros para os campos de concentração.
Nos últimos meses da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando a Alemanha passou a dar os primeiros sinais de derrota, muitos líderes nazistas começaram a se preocupar com seus crimes. Eichmann, devido à sua fama, temia que seu nome estivesse no topo da lista de criminosos de guerra dos Aliados.

Divulgação
Livro elaborado com base em documentos recém-divulgados
Livro elaborado com base em documentos recém-divulgados

Com o fim do conflito internacional, acabou capturado por tropas norte-americanas, mas conseguiu escapar em 1946. Em 1950 mudou-se para a Argentina, adotando o nome de Ricardo Klement.
Após um longo período de investigação, no dia 11 de maio de 1960, israelenses encontraram e sequestraram Eichmann, uma das primeiras missões do Mossad (serviço secreto israelense). O ex-oficial nazista foi levado para Israel dez dias depois.
Seu julgamento começou em abril de 1961. Condenado à morte, sua sentença foi executada no dia primeiro de junho de 1962. Inspirada pelo processo, Hannah Arendt (1906-1975), filósofa alemã de origem judaica, escreveu "Eichmann em Jerusalém".
"Caçando Eichmann" (Objetiva, 2010) foi elaborado a partir de documentos recém-divulgados, incluindo o passaporte falso usado pelo nazista para deixar a Europa e em uma detalhada pesquisa sobre ex-soldados nazistas e extremistas argentinos de direita.
Escrito pelo jornalista norte-americano Neal Bascomb, mesmo autor de "O Encouraçado Potemkin", o volume é a primeira narrativa completa do mais famoso julgamento de um criminoso de guerra no século 20. Leia, abaixo, um trecho do livro.

“Literatura feita de vida e amor”


Moacyr Scliar era daquelas pessoas sem reposição. Nunca mais haverá ninguém como ele, tão solícito com os amigos, tão discreto e elegante diante de uma confidência, tão generoso ao dar um bom conselho. Ele era, como muitos vêm lembrando, nosso Príncipe das Letras, caracterizava-se pela nobreza e solicitude no trato com as pessoas. Ele e Judith, a esposa que, em geral, o acompanhava em suas viagens, conseguiam tornar qualquer conversa agradável, passar alguns momentos com eles era um privilégio. A cultura judaica, matéria de muitos de seus livros, para ele, era marcada por contradições, como revela seu interessante ensaio, O Enigma da Culpa, em que desfia muitas histórias de sua juventude (Por Guiomar de Grammont, O Estado de S.Paulo).

Newsletter Conib - 9-03-11

Conib destaca
Quarta-feira, 9 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. 'Brasil começa a se redimir de ter apoiado ditadores', diz iraniana

quarta-feira, 2 de março de 2011

O Globo News painel analisa a crise árabe e suas implicações internacionais

http://globonews.globo.com/Jornalismo/GN/0,,MUL1650241-17665,00-PRIMAVERA+ARABE+PODE+INTERFERIR+NO+SETOR+DE+ENERGIA.html

clique nesse link para ver o programa do 27/02/2011

Os participantes são: o cientista político e professor da UnB, Eduardo Viola; professor de relações internacionais da PUC-SP, Reginaldo Nasser e o empresário Joseph Tutundjan.

Livro mostra contribuição dos judeus ao desenvolvimento brasileiro

Histórias e curiosidades da comunidade judaica brasileira, desde 1500, e sua contribuição para o progresso do País são o tema do livro “Os Judeus no Desenvolvimento Brasileiro”, do engenheiro e empresário Hertz Uderman, que será lançado em 15 de março, no Rio de Janeiro.

A obra contempla os judeus que se destacaram nas artes, medicina, economia, política, nas Forças Armadas e em outras áreas de atuação. O prefácio é de Arnaldo Niskier, membro da Academia Brasileira de Letras.



Capa do livro “Os Judeus no Desenvolvimento Brasileiro”.
 

Indicação de textos e vídeo

Judeus e Santa Sé: 40 Anos de Diálogo”, na Rádio Vaticano.

Veja trecho de entrevista com Moacyr Scliar no programa Roda Viva, da TV Cultura/SP.


Dilma afirma que Scliar foi um 'mestre da nossa literatura'”, na Folha de S. Paulo.


Zero Hora cria página especial sobre vida e obra de Scliar.


Moacyr Scliar e a essência do judaísmo”, por Marcos Guterman, em O Estado de S. Paulo.


Uma lágrima para Moacyr Scliar”, por Daniel Piza, em O Estado de S. Paulo.


Scliar consolidou a temática judaica na literatura brasileira”, por Michel Laub, na Folha de S. Paulo.


Tradição judaica aparece desde o seu primeiro romance”, por Manuel da Costa Pinto, na Folha de S. Paulo.


A falta de Moacyr Scliar”, por Arnaldo Niskier, no jornal Alef.


Mineiros chilenos agradecem milagre de resgate em Jerusalém”, no portal Terra.

New Holocaust restitution project launched”, no site JTA.


A legacy of violence”, por Efraim Karsh, sobre a cultura política islâmica, no Jerusalem Post.


Middle East expert Bernard Lewis warns that immediate elections in Arab countries could bring extremists to power”, no site do World Jewish Congress.


Conheça o novo site do Instituto Weizmann de Ciências, em Israel

Comunidade comemora em 18 de março o Dia da Imigração Judaica

O Dia da Imigração Judaica homenageia a contribuição dos judeus para a formação da sociedade brasileira. A celebração foi criada por um projeto de lei do então deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ), sancionado em 2009 pelo então presidente em exercício, José Alencar.

A data de 18 de março foi escolhida, pois marca o dia da reinauguração, em 2002 no Recife, da Sinagoga Kahal Kadosh Zur Israel (Santa Comunidade Rochedo de Israel), a primeira das Américas. Os judeus fazem parte da história do Brasil desde antes de seu descobrimento. Há historiadores que afirmam que o projeto ultramarino português só foi possível graças à participação concreta dos judeus. Alguns dos primeiros exploradores da terra recém-descoberta, como Gaspar da Gama, eram cristãos-novos.


“Navio de Emigrantes”, de Lasar Segall. Reprodução.

Historiadora brasileira elucida novas formas de antissemitismo

 

Historiadora Maria Luiza Tucci Carneiro fala em seu novo livro sobre negligência do Brasil em relação aos refugiados judeus do nazifascismo. Ela constata ainda que "o antissemitismo persiste por trás de novas máscaras".

 

Em seu mais recente livro – Cidadão do Mundo (São Paulo, 2010), a ser lançado na Alemanha durante a Feira do Livro de Frankfurt de 2013 – a historiadora paulista Maria Luiza Tucci Carneiro, atual coordenadora do LEER (Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação da Universidade de São Paulo), investiga o papel do Brasil diante do Holocausto e dos judeus refugiados do nazifascismo entre 1933 e 1948.

Newsletter Conib - 2-03-11

Conib destaca
Quarta-feira, 2 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. "Brasil tem peso maior sobre direitos humanos"

terça-feira, 1 de março de 2011

Mensagem da Presidente da WIZO SC para 2011 - E relato da doação ao Hospital Celso Ramos

Queridas Chaverot,
 
Antes de tudo, desejo a todas um ano de 2011 com muitas felicidades e muitas atividades!
 
Na última quinta-feira, dia 09/02, a chaverá Iete e eu, estivemos no Hospital Celso Ramos para entregar os alimentos não perecíveis arrecadados na nossa última campanha realizada junto com a Associação Israelita Catarinense. Os alimentos foram doados para a Associação de Voluntários do Hospital Celso Ramos em Florianópolis e serão distribuídos para pacientes carentes que estão sob o tratamento de hemodiálise neste hospital .
 
na foto a Presidente da Wizo, Gisele, e uma funcionário do Hospital.
 
Muito obrigada a todas que ajudaram e contribuíram!!
 
As nossas atividades este ano iniciarão em março, em data a ser marcada. Neste dia, planejamos gravar um vídeo institucional solicitado pela Presidente da Wizo Brasil, Helena Kelner. Esta gravação fará parte de um vídeo de todos os centros WZO do Brasil para comemorar os 85 anos da WIZO no Brasil.
 
Por isso, peço a todas que tiverem alguma informação, história, fotos, documentos, etc. da história da WIZO de Santa Catarina, que me enviem por email para que possamos incorporar no vídeo.
 
Um abraço a todas e até breve!
 
Gisele G. Bernstein
Presidente WIZO SC
 
 

Newsletter Conib - 1-03-11

Conib destaca
Terça-feira, 1º de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. "Nenhum governo se sustentará pela força", diz ministra na ONU